"QUANTO A MIM, TENHO QUE LHES DIZER QUE AS ESTRELAS SÃO OS OLHOS DE DEUS VIGIANDO PARA QUE TUDO CORRA BEM. PARA SEMPRE. E, COMO SE SABE, SEMPRE NÃO ACABA NUNCA." (CLARICE LISPECTOR)



quinta-feira, 31 de março de 2011

Eu não me imaginei, eu existo...


"Não há homem ou mulher que por acaso não se tenha olhando ao espelho e se surpreendido consigo próprio. Por uma fração de segundo a gente se vê como a um objeto a ser olhado. A isto se chamaria talvez de narcisismo, mas eu chamaria de: alegria de ser. Alegria de encontrar na figura exterior os ecos da figura interna: ah, então é verdade que eu não me imaginei, eu existo."

in A descoberta do mundo

quarta-feira, 30 de março de 2011

Esse é meu jeito de ser, viver, compreender...


"Qual a graça de ser e estar a mesma coisa, ao mesmo tempo? Por que não ser feliz e estar triste, ser legal e estar chato, ser paciente e explodir?"

Ou tire ela da cabeça ou mereça a moça que você tem...


"Ei, não tenta entender as voltas que eu dou sozinha. Deixa só um mistério estranho de filme trash. Ninguém quer descobrir o que há por trás da mulher diferente, mas ela ainda é a mulher diferente que deve ser descoberta.
Passo horas falando pra ficar muda de repente, passo toda a segurança do mundo pra me derrubar em medos bobos. É que tudo fica mais legal em constante mudança. E eu nem sei mais ser a mesma sempre."

terça-feira, 29 de março de 2011

Porque já eras meu... Sem eu saber sequer...


"Porque foste na vida
A última esperança
Encontrar-te me fez criança
Porque já eras meu
Sem eu saber sequer
Porque és o meu homem
E eu, tua mulher.
Porque tu me chegaste
Sem me dizer que vinhas
E tuas mãos foram minhas, com calma
Porque foste em minh'alma
Como um amanhecer
Porque foste o que tinha de ser."

O amor me tira aquilo que não serve mais e que me compunha antes...


"O que me interessa no amor, não é apenas o que ele me dá, mas principalmente, o que ele tira de mim: a carência, a ilusão de autossuficiência, a solidão maciça, a boemia exacerbada para suprir vazios. Ele me tira essa disponibilidade eterna para qualquer um, para qualquer coisa, a qualquer hora. Ele apazigua o meu peito com uma lista breve de prós e contras. Mas me dá escolhas. Eu me percebo transformada pelo que o amor tirou de mim por precisar de espaço amplo e bem cuidado para se instalar. O amor tira de mim a armadura, pois não consigo controlar a vulnerabilidade que vem com ele; tira também a intransigência. O amor me ensina a negociar os prazos, a superar etapas, a confiar nos fatos. O amor tira de mim a vontade de desistir com facilidade, de ir embora antes de sentir vontade, de abandonar sem saber por quê. E é por isso que o amor me assombra tanto quanto delicia. Porque não posso virar as costas pra uma mania quando ela vem de uma pessoa inteira. Porque eu não posso fingir que quero estar sozinha quando o meu ser transborda companhia. O amor me tira coisas que eu não gosto, coisas que eu talvez gostasse, mas me dá em dobro o que nunca tive: um namoramento por ele mesmo. O amor me tira aquilo que não serve mais e que me compunha antes. O amor tirou de mim tudo que era falta."

segunda-feira, 28 de março de 2011

O que vai ficar na fotografia... São os laços invisíveis que havia...


"Perdi todas as minhas imagens: as das fotografias, dos espelhos, dos lagos. Se meus olhos fossem câmeras cinematográficas eu não veria chuvas nem estrelas nem lua, teria que construir chuvas, inventar luas, arquitetar estrelas. Mas meus olhos são feitos de retinas, não de lentes, e neles cabem todas as chuvas estrelas lua que vejo todos os dias todas as noites."

Fico louco pra dormir juntinho... Abraçar você... E amanhecer devagarinho...


"Quando a noite chegar cedo e a neve cobrir as ruas, ficarei o dia inteiro na cama pensando em dormir com você. Quando estiver muito quente, me dará uma moleza de balançar devagarinho na rede pensando em dormir com você.
...
- Vou te escrever carta e não te mandar.
- Vou tentar recompor teu rosto sem conseguir.
- Vou ver Júpiter e me lembrar de você.
- Vou ver Saturno e me lembrar de você.
...
- O tempo não existe.
- O tempo existe, sim, e devora.
...Quando eu olhar a noite enorme do Equador, pensarei se tudo isso foi um encontro ou uma despedida. E que uma palavra ou um gesto, seu ou meu, seria suficiente para modificar nossos roteiros."

domingo, 27 de março de 2011

Hoje é semente do amanhã...


"...sur la planète du petit prince, il y avait comme sur toutes les planètes, de bonnes herbes et de mauvaises herbes. Par conséquent de bonnes graines de bonnes herbes et de mauvaises graines de mauvaises herbes. Mais les graines sont invisibles. Elles dorment dans le secrèt de la terre jusqu'à ce qu'il prenne fantaisie à l'une d'elles de se réveiller."

O Pequeno Príncipe - Capítulo V

sexta-feira, 25 de março de 2011

Por que você finge sorrir feliz quando me vê?...


"Existe um porre muito antes do álcool.
É a bebedeira egoísta e narcisista
de ignorar os outros."

quinta-feira, 24 de março de 2011

Sou um animal sentimental...


- Porra! – gritou.
Amaranta, que começava a colocar a roupa no báu, pensou que ela tinha sido picada por um escorpião.
- Onde está? – perguntou alarmada.
- O quê?
- O animal! – esclareceu Amaranta.
Ursula pôs o dedo no coração.
- Aqui – disse.



in “Cem Anos De Solidão”

Preciso tanto aproveitar você... Beijar teus olhos, olhar tua boca... Dizer palavras de um futuro bom...


Nesses momentos, abraçados, falavam de si, revelando-se mutuamente, se experimentavam, maravilhados, descobriam pontos de contato, afinidades insuspeitadas. Recompunham o mundo à sua maneira, tentavam um entendimento completo além das palavras.

in “0 Encontro Marcado”

quarta-feira, 23 de março de 2011

Eu só preciso saber... Como vai você?


"...Na verdade eu só queria te dizer que por mais que o tempo passe, não consigo preencher meus buracos. Eu olho em volta e não procuro nada. Só porque eu sei que não há nada. Só porque eu sei que o nada que eu quero tá longe de mim. É tudo um enorme, frio e presente nada. Um vazio do tamanho da minha quase existência. Eu quase existo, sabia? Afinal, quem existe por inteiro? Eu não. Eu sou metade amada (porque ninguém me assume por inteiro); metade interessante (porque assusto quem eu quero aproximar e frustro os que ignoram minha muralha); metade culpada (porque ninguém tem obrigação de me amar de verdade quando eu crio bloqueios tristes e vazios). Se você quiser desligar, tudo bem. Eu só tava fazendo drama. Claro que eu vou sobreviver, né? Nunca precisei de uma ligação pra me manter inteira. Mas me diz, e você, tá bem?"

Os amores mais bonitos são aqueles que nunca foram usados...


"No instante que me iludo, é quando você me esquece. Quando volto à tona, você mergulha nos meus olhos. Se eu te roubo rosas vermelhas, você faz "bem-me-quer". Quando hesito, é quando você já está na estrada.

Se me perco no teu beijo, você fica tentando encontrar um caminho. Quando me encho de receio, você me diz estar pronta. Eu te ponho em xeque-mate, você me diz que cansou de jogar. Quando não quero me machucar, você me telefona no meio da noite.


Eu vejo o sol nascer no mar, você se preocupa em não molhar os pés. Quando eu não durmo, é quando você sonha loucuras sobre nós dois. Quando sinto teu gosto na minha boca, você pede economia nos clichês. Se não quero parecer patético, você se diz um poema apaixonado.

Eu quero parar o tempo, você procura seu relógio embaixo da cama. Quando me escondo, é quando você me quer em cima de você. Se apresso meu passo na sua direção, você engata a marcha ré. Quando reúno meus pedaços, você dá o coração para bater.

Eu deito no seu colo, você se preocupa em fechar a janela. Quando me poupo, é o instante que você se dá de graça. Se ando em alta velocidade, você conta os níqueis pro pedágio. Eu perco as chaves, você insinua mudar pro meu apartamento.

Um amor físico, fatídico, real, raro e patente. Um amor que nasceu, mas nunca viveu. Um amor que aconteceu, mas não foi ocupado. Daquelas comédias românticas que ninguém tem tempo de rir, pois já começa pelo final. Os amores mais bonitos são aqueles que nunca foram usados."

terça-feira, 22 de março de 2011

Espero sempre ter alguém especial como você...


"...Porque é tão mais fácil aturar a vida
sabendo que tem você."

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua...


"Toda noite de insônia eu penso em te escrever
Pra dizer que teu silêncio me agride..."

Deixa estar que o que for pra ser vigora...



"Cultive, cuide, queira bem, o resto vem."

domingo, 20 de março de 2011

Quebra em pedacinhos o meu coração e guarda... Guarda um pedacinho do meu coração contigo... Fica com ele como prova de amor...


"Ele não soube me amar,
daquilo que eu aprendi ser o amor."

Jogado aos teus pés... Eu sou mesmo exagerado...


Não tenha medo da quantidade absurda de carinho que eu quero te fazer. E de eu ser assim e falar tudo na lata. E de eu não fazer charme quando simplesmente não tem como fazer. E de eu te beijar como se a gente tivesse acabado de descobrir o beijo. E de eu ter ido dormir com dor na alma o final de semana inteiro por não saber o quanto posso te tocar. Não tenha medo de eu ser assim tão agora. E desse meu agora ser do tamanho do mundo.”

E é tão fundo que eu posso dizer...


"...Quando a gente precisa que alguém fique a gente constrói qualquer coisa, até um castelo."

sexta-feira, 18 de março de 2011

Tem gente que chega pra ficar...


"Não pretendo te contar sobre minhas lutas mentais. Você terá nas mãos minha simplicidade e minha leveza, que podem não ser totalmente verdadeiras, mas foram criadas com muito carinho pra não assustar pessoas como você. Não vou ficar falando sobre a complexidade dos meus pensamentos, minha dualidade ou minhas dúvidas sobre qualquer sentimento do mundo. Vou te deixar com a melhor parte, porque eu sei que você merece. Guardo pra mim as crises de identidade e a vontade de sumir. Não vou dissertar sobre minhas fragilidades e minhas inseguranças. Talvez eu te diga algumas vezes sobre minha tristeza, mas só pra ganhar um pouquinho mais de carinho. Ofereço meu bom humor e minha paciência e você deve saber que esta não é uma oferta muito comum.

Se você tivesse chegado antes, eu não teria notado. Se demorasse um pouco mais, eu não teria esperado. Você anda acertando muita coisa, mesmo sem perceber. Você tem me ganhado nos detalhes e aposto que nem desconfia. Mas já que você chegou no momento certo, vou te pedir que fique. Mesmo que o futuro seja de incertezas, mesmo que não haja nada duradouro prescrito pra gente. Esse é um pedido egoísta, porque na verdade eu sei que se nada der realmente certo, vou ficar sem chão. Mas por outro lado, posso te fazer feliz também. É um risco. Eu pulo, se você me der a mão.

Você não precisa saber que eu choro porque me sinto pequena num mundo gigante. Nem que eu faço coisas estúpidas quando estou carente. Você nunca vai saber da minha mania de me expor em palavras, que eu escrevo o tempo todo, em qualquer lugar. Muito menos que eu estou escrevendo sobre você neste exato momento. E não pense que é falta de consideração eu dividir tanto de mim com tanta gente e excluir você dessa minha segunda vida, porque há duas maneiras de saber o que eu não digo sobre mim: lendo nas entrelinhas dos meus textos e olhando nos meus olhos. E a segunda opção ninguém mais tem."

Parece exagero... Mas se depender de mim... Eu vou até o fim...



"...Das páginas em branco, sou a linha que quer ser descrita. E quando estou com você. Sou plural. Aqueço as tuas angústias. Te faço brigadeiro de panela e te desejo sempre uma única coisa. Be strong. Be strong now, baby. Porque nenhuma outra coisa é tão bonita quanto a força. E não digo isso a respeito da força física, apesar de saber que teus braços aninham e carregam o mundo. Eu falo dessa coisa que vem de dentro. Esse teu par de olhos de chocolate com leite esboçam a franqueza mais bonita do mundo. Continue meu bem. Com toda a sua grandeza de coração. E mesmo que toda a incompreensão esteja lançada ao seu lado, sempre existirão as faíscas do amor em teus olhos. Mesmo que digas adeus. Até um dia.
Esperarei.
Não há excessos quando se quer alguma coisa na vida. Promete que vai me ler? Reler. Capítulo por capítulo, sem cortes. Se quiser mudar a história é só apagar as reticências. Continue demarcando os caminhos. Se eu me perder na estrada. Apago tudo e devolvo as tuas pegadas."

É dele que me alimento... É nele que eu acredito...


"...E quando escondo a minha olheira
É pra colher amor."

Na leveza e na doçura de ser feliz... Eu digo teu nome...


“A noite - enorme
tudo dorme
menos teu nome.

Quero tocar as estrelas e lembrar-te
na doçura desse tatear.”

Abre os braços vem e me namora...


"Você ri do medo que eu tenho de você me pedir em namoro, sofre em silêncio quando eu falo que tenho medo de enjoar de você e tenta entender o motivo de eu ter tantos medos escondidos por trás da minha mania de demonstrar segurança."

E a noite traz a vontade... de beijar... te beijar te beijar te beijar...


"Hoje eu queria te levar um beijo de boa noite. Um beijo delicado sobre tua testa, sem nenhuma outra intenção além de te desejar uma boa noite de sono. Nem pedir para estar em teus sonhos, nem pedir para dormir ao teu lado. Queria apenas te ver doce, te ver repousar com todas as inseguranças e perspectivas de um menino, já que a barba será feita somente antes do trabalho, já que os compromissos, por enquanto, estão apenas na agenda, já que o coração está tranqüilo e quase amando uma menina que queria beijar sua testa pelas noites que virão, já que o sono parece uma boa cama para os sonhos que ainda precisam esperar, já que agora o homem pode tirar a máscara e deixar o nu da face iluminar um punhado de estrelas que moram no teto do seu quarto, já que o tempo entre um pensamento e outro é tão rápido e tão milagroso que pode despertar o próximo dia."

quinta-feira, 17 de março de 2011

Tenho medo de parar e medo de avançar... Tenho medo de amarrar e medo de quebrar... Medo que dá medo do medo que dá...


"A parte do sentir que me amedronta
é quando algo parte e quebra o feitiço."

Depende de nós se este mundo ainda tem jeito... Apesar do que o homem tem feito... Se a vida sobreviverá...


Se não vejo na criança uma criança, é porque alguém a violentou antes, e o que vejo é o que sobrou de tudo que lhe foi tirado. Essa que vejo na rua, sem pai, sem mãe, sem casa, cama e comida, essa que vive a solidão das noites sem ninguém por perto, é um grito, um espanto. Diante dela o mundo deveria parar para começar um novo encontro, porque a criança é o princípio sem fim e o seu fim é o fim de todos nós.


(Herbert de Souza – Betinho, sociólogo, 03/11/1935 – 09/08/1997).

Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.




PROJETO MPT NA ESCOLA


OBJETIVOS GERAIS:
ü  Intensificar o processo de conscientização da sociedade com vista à erradicação do trabalho infantil e à proteção ao trabalhador adolescente;
ü  Romper as barreiras culturais que dificultam a efetivação dos direitos da criança e do adolescente; e,
ü  Fortalecer o Sistema de Garantia de Direito, com vista à ampliação, quantitativa e qualitativa das políticas públicas de atendimento à criança e adolescente.




UMA REFLEXÃO:


Imagem retirada do site: fragmentosmoveis.wordpress.com

O amor que vive em mim vem visitar (...) Vem esquentar e permitir...


''Quando a gente gosta, a gente começa emprestando um livro, depois um casaco, um guarda-chuva, até que somos mais emprestados do que devolvidos. (...) Gostar é não devolver, é se endividar de lembranças."

Nada faz a menor diferença quando a gente pensa no que ainda pode ser...


"...Mesmo que tenha suspeitado de que eu sentia algo, não descobriu tudo. Não descobriu que seu riso era a canção de que eu mais gostava. Que sussurrava seu nome repetidas vezes, e com tanta delicadeza, que ele bailava nos meus ouvidos como um poema. Um mantra. Uma música. Que eu queria conhecer o lugar onde os seus sonhos moravam para poder acordá-los, vez ou outra, quando adormecessem. Que em alguns momentos, no auge da minha ilusão, senti vontade de pedir que jogássemos as armas no chão para que nossas mãos pudessem se encontrar.

Nunca descobriu que escrevi versos que não lhe mostrei e cartas que jamais entregaria. Que muitas vezes, a pedido do meu coração, liguei apenas para ouvir sua voz dizer alô e desliguei sem uma única palavra. Que fantasiei delícias. Que cantei todas as músicas de amor que eu sabia lembrando dele. Que lembrava ao acordar. Que adormecia lembrando. Que lembrava tanto que achava ter enlouquecido, ô troço obsessor essa tal de paixão. E que, às vezes, lembrar doía, uma dor fina e morna crescendo no peito, como doem os sonhos que não acontecem e que a gente desconfia que não vão mais acontecer."

A vida é uma viagem... passagem só de ida...


"Histórias de verdade não se rebobinam."

Mais uma vez vou te esperar... Mais uma vez não vou te ver chegar...


"...E já que o tempo não passa no coração, acho que é possível atualizar a nossa memória o tempo todo. Podemos ser generosos com nós mesmos. Buscar nos nossos arquivos o que existe lá de doçura, de graça, de amorosidade. Saborear as lembranças risonhas que também trazemos conosco. Utilizá-las como pontes que nos ligam a quem amamos quando a vida nos pede para inventar outros jeitos de encontro."

.
.
.

Oito meses sem o ruído da tua risada vozinha! Segue comigo todas-as-lembranças-de-todos-os-dias-de-todas-as-horas-dos-muitos-e-preciosos-momentos-ao-teu-lado. Ainda não me acostumei com o silêncio da casa, com o espaço imenso que ficou, com a tua ausência...

quarta-feira, 16 de março de 2011

Quantas vezes a gente sobrevive à hora da verdade?


"Você me pergunta sairei do buraco?. Sairá, sim. Sairá brilhantemente. As coisas agora vão começar a acontecer, é meio tipo ímã, uma coisinha vai magnetizando outra e outra e outra, você vai ver.”

(...) Qual me leva? qual me prende? (...) sorte e acaso? quem sabe (?) do que depende?


Algumas pessoas deveriam escolher o que querem ser na nossa vida:

.
.
.

Âncora ou asas?"

terça-feira, 15 de março de 2011

Tantas águas rolaram... Quantos homens me amaram... Bem mais e melhor que você...


"Quando você me deixou, meu bem,
Me disse pra ser feliz e passar bem.
Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci,
Mas depois, como era de costume, obedeci.

Quando você me quiser rever
Já vai me encontrar refeita, pode crer.
Olhos nos olhos,
Quero ver o que você faz
Ao sentir que sem você eu passo bem demais

E que venho até remoçando,
Me pego cantando, sem mais, nem por quê.
Tantas águas rolaram,
Quantos homens me amaram
Bem mais e melhor que você.

Quando talvez precisar de mim,
Cê sabe que a casa é sempre sua, venha sim.
Olhos nos olhos,
Quero ver o que você diz.
Quero ver como suporta me ver tão feliz."


(Olhos nos Olhos)

segunda-feira, 14 de março de 2011

Sorriso solto perdido (...) O porto, nada!... Navegar é preciso... Viver? Idem...


"O que seria se não fossem a mágica presença das estrelas? O que seria se o doce-nutriente não fosse um desejo de sorver as coisas boas da vida? Nada seria! Navegar é preciso! Viver? idem... o poeta maior de Portugal criou um monstro ao pegar emprestado essa frase da Grécia Antiga... Portanto, ofereço-te uma nova roupagem... Viver e Navegar configuram o mesmo cenário de felicidade!"

domingo, 13 de março de 2011

Pois a vida nos ensina que um rosto de menina... De repente esconde uma grande mulher...


"Um domingo de tarde sozinha em casa
dobrei-me em dois para a frente

- como em dores de parto
- e vi que a menina em mim estava morrendo.
Nunca esquecerei esse domingo.
Para cicatrizar levou dias.
E eis-me aqui. Dura, silenciosa e heróica.


.
.
.

Sem menina dentro de mim."

sábado, 12 de março de 2011

Sinto falta de você dizendo que eu te fiz feliz...


"Há saudades que caminham comigo aconchegadas num lugar gostoso que a memória tem. Sei que estão lá, mesmo quando demoro um bocado de tempo para apreciar as histórias que me contam. São porta-jóias que guardam encantos que não morrem. Caixinhas de música, que, ao serem abertas, derramam melodias que me fazem dançar com elas de novo.

.
.
.

São saudades capazes de amenizar o frio de alguns instantes com os seus braços de sol..."

E são lembranças que o tempo não pode mudar... E no final, é de você que eu vou lembrar...


"Quando lembro o quanto as nossas vidas se entrelaçam amorosamente com outras vidas nessa tapeçaria de fios sutis dos encontros humanos, a gratidão emerge e se espalha, em ondas de ternura, por toda a orla do peito. Diante de tantas incertezas, essa verdade perene: o amor compartilhado é o sábio curador.
.
.
.

Quando lembro, eu agradeço. E respiro macio."