"QUANTO A MIM, TENHO QUE LHES DIZER QUE AS ESTRELAS SÃO OS OLHOS DE DEUS VIGIANDO PARA QUE TUDO CORRA BEM. PARA SEMPRE. E, COMO SE SABE, SEMPRE NÃO ACABA NUNCA." (CLARICE LISPECTOR)



quarta-feira, 29 de junho de 2011

Sai da frente que eu quero passar com a minha dor...

“Lembrei que tinha lido em algum lugar que a dor é a única emoção que não usa máscara.”

terça-feira, 14 de junho de 2011

Eu queria tanto descansar o meu coração...


"Ela só precisa sentir que não há com que se preocupar, você tá ali e tal."

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Mais ou menos é a pior coisa que existe...


"Me diga que está triste, eu consolo. Me diga que nunca foi tão feliz, eu concordo. Me ame ou me odeie. Me mande pra puta-que-o-pariu ou me convide pra ir com você. Exploda na minha cara ou se derreta na minha mão. Deixa eu te ver morrendo de tanto rir ou com vergonha das olheiras de tanto chorar. Só não me esconda o rosto. Me abrace, me esmurre, me lamba ou me empurre. Só não me balance os ombros. Não me perturba assistir tua dor nem acompanhar teu gás. Te ver mais ou menos realmente me incomoda. Mais ou menos não rende papo, não faz inverno nem verão, não exige uma longa explicação. É melhor estar alegre ou estar triste, mais ou menos é a pior coisa que existe."

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Acima de tudo, no meio de tudo... você!


“Porque, às vezes, no meio desse monte de sentimentos sujos, a gente acaba achando um sorriso perdido, um brilho no olho, um céu estrelado que nos faz acreditar tudo de novo.”

terça-feira, 7 de junho de 2011

Ouça meu silêncio gritando "Agora é tarde demais"...


"Veja bem. Não tô dizendo que superei, as feridas estão comigo, servindo de baliza pra reconhecer esse lado quente e fresco das coisas. Mas eu preciso ir, não posso falar contigo agora. Tenho pressa de apertar o play. Dá licença? Então sai debaixo da minha sacada. E da próxima vez que sair na chuva, vê se antes aprende a se molhar."

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Não, eu não sei, não! O que é que há?...


"O que é que há? O que é que tá se passando com essa cabeça? O que é que há? O que é que tá me faltando pra que eu te conheça melhor? Pra que eu te receba sem choque? Pra que eu te perceba no toque das mãos o teu coração...?

O que é que há? Por que é que há tanto tempo você não procura meu ombro? Por que será? Porque será que esse fogo não queima o que tem pra queimar? Que a gente não ama o que tem prá se amar? Que o sol tá se pondo e a gente não larga essa angústia do olhar...?

 
Telefona!
Não deixa que eu fuja
Me ocupa os espaços vazios
Me arranca dessa ansiedade
Me acolhe, me acalma
Em teus braços macios
Macios!...

O que é que há? O que é que tá se passando com a minha cabeça? Não, eu não sei, não! O que é que há?..."

Eu (e eu) em busca do equilíbrio...


 
"Talvez um dia eu seja uma pessoa mais equilibrada. Dessas que não se abalam tanto com os problemas. Que sabem administrar com inteligência a maioria das situações. Mas, por enquanto, confesso que não consigo. Basta uma coisa dar errado para estragar todas as outras. Um desequilíbrio literal. Imagino meu humor como uma pilha de latas em um corredor de supermercado. Estão todas lá: umas em cima das outras. Organizadas. Alinhadas. Aí vem uma criança teimosa e tira uma das latas de baixo. A do meio! E, em dois segundos, está tudo no chão. Era impossível que continuassem de pé sem aquela lata. Ando meio triste. Uma criança teimosa passou por aqui um dia desses e levou o que queria.Tirou uma lata e foi embora. Sei que vou ficar bem. No fim, as coisas sempre se ajeitam. Mas dá um trabalho organizar tudo de novo! Ter de pegar lata por lata e empilhar outra vez... Uma a uma. Bem devagar. Até achar o tal do equilíbrio.

domingo, 5 de junho de 2011

Quando te achei comecei (a me perder)...


"Foi por acreditar em você que
 gasto mais uma das minhas vidas.
Morro mais uma vez..."

quinta-feira, 2 de junho de 2011

A saudade é o revés de um parto...


"E qualquer coisa que eu recorde agora, vai doer.
A memória é uma vasta ferida."