"QUANTO A MIM, TENHO QUE LHES DIZER QUE AS ESTRELAS SÃO OS OLHOS DE DEUS VIGIANDO PARA QUE TUDO CORRA BEM. PARA SEMPRE. E, COMO SE SABE, SEMPRE NÃO ACABA NUNCA." (CLARICE LISPECTOR)



domingo, 26 de setembro de 2010

Do silêncio que fala...

"E se não quisermos, não pudermos, não soubermos, com palavras, nos dizer um pouco um para o outro, senta ao meu lado assim mesmo. Deixa os nossos olhos se encontrarem vez ou outra até nascer aquele sorriso bom que acontece quando a vida da gente se sente olhada com amor. Senta apenas ao meu lado e deixa o meu silêncio conversar com o seu. Às vezes, a gente nem precisa mesmo de palavras."

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Da entrega...


"Aos caminhos, eu entrego o nosso encontro..."


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Do que é melhor...



"Ela lhe perguntou num daqueles dias se
era verdade, como diziam as canções,
que o amor tudo podia.

 

-É verdade - respondeu ele - mas será
melhor não acreditares."

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Do medo bobo...


"Você diz que ama a chuva,
mas você abre seu guarda-chuva quando chove...
Você diz que ama o sol,
mas você encontra um ponto de sombra quando o sol brilha...
Você diz que ama o vento,
mas você fecha as janelas quando o vento sopra...


É por isso que eu estou com medo;
Você diz que me ama também..."

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Dos tombos...


"Não é raro, tropeço e caio. Às vezes, tombo feio de ralar o coração todinho. Claro que dói, mas tem uma coisa: a minha fé continua em pé."


[Diante dos acontecimentos diários]

Da espera...


"Senta aqui no sofá, me protege desse tempo frio a e fora, e conversa um pouco ou muito comigo. Prometa não olhar pro relógio, muito menos pro céu pra ter uma idéia de que horas são. Sorria, chore, descreva, julgue, fale bem ou mal de alguém, mas fica aqui. Quero que não saia daqui enquanto chegar à noite, e que quando chegar à noite, não saia de lá enquanto é dia. Tenho saudades do teu cheiro, do teu jeito, de como tu se veste, de como os teus pontos de vista são os melhores, do quanto é prazeroso apenas te olhar, e honroso te tocar. Fica aqui mais uns três minutos, três horas, três dias, três anos, ou melhor, fica pra sempre. Toma algumas bebidas, sem álcool claro, não te quero ver capotar, muito menos ouvir você falar todos os seus segredos, pois são os teus mistérios que me deixam mais forte, mais curioso, e com vontade de te descobrir mais e mais. Vai, custa nada, um dia a mais um dia a menos aqui, não vai te fazer falta, mas pra mim sim. Ah, não se esquece de me dar um cheiro na testa quando sair, assim eu vou saber o que fazer pra não deixar você ir, vou bolar umas artimanhas, planos, e armadilhas pra te prender perto de mim. Opa, já vai? Tem certeza? Será que a gente se vê mais a frente? É difícil saber não é? Tudo bem, me beija? Obrigado por existir tá? E não esquece tô aqui no sofá, todas as horas a te esperar, vê se volta logo, mesmo que você ache difícil o reencontro. Lembre-se, nunca nada foi impossível aos olhos do amor."

Das descobertas...


"Eu me descubro ainda mais feliz a cada pedaço seu e de tudo o que é seu. Às vezes você é tão bobo, e me faz sentir tão boba, que eu tenho pena de como o mundo era bobo antes da gente se conhecer. Eu queria assinar um contrato com Deus: se eu nunca mais olhar para homem nenhum no mundo, será que ele deixa você ficar comigo pra sempre? Eu descobri que tentar não ser ingênua é a nossa maior ingenuidade, eu descobri que ser inteira não me dá medo porque ser inteira já é ser muito corajosa, eu descobri que vale a pena ficar três horas te olhando sentada num sofá mesmo que o dia esteja explodindo lá fora. E quando já não sei mais o que sentir por você, eu respiro fundo perto da sua nuca, e começo a querer coisas que eu nem sabia que existiam."

domingo, 19 de setembro de 2010

Espera...

“O
 amor
 não
tem
pressa,
 ele
 sabe
esperar
 em 
 silêncio”.

[Hoje eu sou toda saudade]

Interrogações...



"Que te dizer?

Que te amo, que te esperarei
um dia, (...) que consegues mexer

dentro-dentro de mim?

É tão pouco."

[É mais ou menos isso]

Meu abismo, meu abrigo


Pára um pouco, descansa um pouco
Relaxa e olha pra mim
E vê se dá pra destravar
Que da minha parte, você sabe
Eu não quero nada além do que você consegue ser
Nem mais, nem menos
Então, vem agora
Meu amor, meu amor
A tua liberdade é tudo que eu quero desfrutar
Minta, inventa qualquer verdade, não importa
Se sinta à vontade pra poder dissimular
E, se por acaso, você ficar com medo
Tudo bem, eu também não tenho nada pra poder me segurar
Não sei não, mas talvez, seja isso
Essa falta seja o aviso
De que a gente não tendo outra escolha, arrange coragem
Pra admitir
Quem ama, não pode
Esperar nada de quem tudo se quer
Quem ama, não pode
Esperar nada de quem tudo se quer
Por isso, conta comigo
Pra qualquer destino
Meu abismo, meu abrigo
Só se vive o que se ama



[Pra vc amor]

Evolução...


"Estou na caridade da evolução do meu ser.




 Quero
ser
menina,


encontro-me mulher...


Quero
 ser
mulher,


vejo-me menina..."




[Quero ser criança quando crescer]


Nosso amor, contaminado de eternidade...




"Por que demoraste tanto a voltar, moço? Sem interpretações, as palavras são todas tuas. Se foram elas que te levaram, que sejam elas que te recebam. Isso é mais que um texto. É um clichê, cheio de exageros. Quebro o silêncio de anos, ‘cada coisa tem sua hora e cada hora seu cuidado’. Procuro ainda meios de preencher os espaços deixados por ti. Guardo ainda os segredos que não te contei. Guardo a importância de tua presença e o quanto de falta ela me fez. E embora eu tenha ficado sem saber onde colocar as mãos sem você, no teu retorno não tive dúvidas, meu abraço parecia te esperar a despeito do passado. Tu voltas e traz contigo as emoções todas. Assustei-me. Olhei bem. Quão suave foi reconhecer: finalmente tudo mudou, ainda bem não mudou nada! E tu, mesmo sem consentimento, foste retomando um espaço dentro de mim, com teu amor exagerado e tua disposição tão bonita. O que ficou nos deu ainda um lugar de repouso, de alívio, de porto e de partida. Obrigada pelos confetes em formas gentis de amor. Pelas declarações – silenciosas – de amor. Por todas as cores divertidas do teu verso de amor e pelo carinho que, depois de tanto tempo, derrama-se em delicadas formas. Tua pressa de ser meu me faz crer que eternidade é um dia de cada vez. Quero mais da gente, quero tuas soluções simples, tua certeza sem promessas. Quero o passado no lugar certo, quero um presente sem culpas e sem dor. Repito baixo pelos cantos que te amo, torcendo para que sintas. Anseio mais coincidências, mais respostas, outras formas de amar. Quero paz diante da possibilidade de dar a mão a alguém sem perder a liberdade. Quero até quando tiver de ser. Aproveito teu ombro como travesseiro e tua cumplicidade de companhia. Ofereço o coração como abrigo e as coisas mais simples que um amor amigo pode trazer. Faço rimas de minha saudade. E assim caminho: com você em mim. Isso é mais que um texto. É um clichê, cheio de vontade. E é o meu sim."

[Só nós sabemos o que isso significa]

sábado, 18 de setembro de 2010

Trago-te palavras...

"Eu queria trazer-te uns versos muito lindos colhidos no mais íntimo de mim...
Suas palavras seriam as mais simples do mundo, porém não sei que luz as iluminaria, que terias de fechar teus olhos para as ouvir...
Sim! Uma luz que viria de dentro delas, como essa que acende inesperadas cores nas lanternas chinesas de papel!
Trago-te palavras, apenas... e que estão escritas do lado de fora do papel...
Não sei, eu nunca soube o que dizer-te e este poema vai morrendo, ardente e puro, ao vento da Poesia... como uma pobre lanterna que incendiou!"

Camuflagem...

[Lembrando o início e o fim do meu casamento]

"Ora veja... é o que sempre acontece às pessoas românticas: enfeitam uma criatura, até o último momento, com penas de pavão, e não querem ver, nela, senão o que é bom, muito embora sentindo tudo ao contrário.
Jamais querem, antecipadamente, dar às coisas o seu devido nome. Essa simples idéia lhes parece insuportável.
A verdade, repelem-na com todas as forças até o momento em que aquela pessoa, engalamada por elas próprias, lhes mete um murro na cara."



Surpresas embaladas...




"Tem gente que entra na nossa vida de forma providencial e se encaixa naquela história que gosto de imaginar: surpresas que Deus embrulha pra presente e nos envia no anonimato. Surpresas que só sabemos de onde vêm porque chegam com o cheiro dele no papel."



[Amor vc continua sendo um presente lindo na minha vida

Quero...

"Eu quero mesmo é alguém que faça meu corpo querer companhia nos momentos
em que minha mente insiste pela solidão."

[Obrigada amor por dar alento aos meus sonhos]


sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Palavras...

"...Só não se esqueça que atrás
Do veneno das palavras
Sobra só o desespero
De ver tudo mudar..."



Algum dia - Capital Inicial

Sei... sabemos...


"Sei exatamente como é querer morrer, como
 machuca sorrir, como você tenta se encaixar mas
 não consegue, como você se fere por
 fora tentando matar o que tem por dentro..."


Do filme Garota Interrompida

Maria Deuzima...

"O que a memória ama fica eterno. Te amo com a memória, imperecível!"

[Dois meses sem o ruído do teu sorriso...
...Bjs de saudades vozinha]

Coragem...


"Nada em mim foi covarde, nem mesmo as desistências: desistir, ainda que não pareça, foi meu grande gesto de coragem."




 [Esperançosa por dias risonhos]

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Pactos...

"Pactos. Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia venha a dividir o caminho dos dois."

[Pra você amor]

"Desistir? Eu já pensei seriamente nisso, mas nunca me levei realmente a sério. É que tem mais chão nos meus olhos do que cansaço nas minhas pernas, mais esperança nos meus passos do que tristeza nos meus ombros, mais estrada no meu coração do que medo na minha cabeça."

"Talvez a gente esteja no mundo para procurar o amor, encontrá-lo e perdê-lo, muitas e muitas vezes. Nascemos de novo a cada amor e, a cada amor que termina,
abre-se uma ferida.


Estou cheia de orgulhosas cicatrizes."

[Pelas circunstâncias...  momento difícil... delicado... complicado...]


"E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará. A moça - que não era Capitu, mas também tem olhos de ressaca - levanta e segue em frente. Não por ser forte, e sim pelo contrário… por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo."


"...Você sabe, estou saindo de um momento muito escuro, então tenho procurado não deixar que as minhas dores pessoais – do meu ponto de vista: enormes – interfiram no meu

viver
 objetivo."




"Ontem chorei. Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fosse e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas.Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda- roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou. E não volta mais, pois que hoje é já outro dia. Chorei. Apronto agora os meus pés na estrada. Ponho-me a caminhar sob sol e vento. Vou ali ser feliz e já volto."

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

“Que você acredite que não me deve nada simplesmente porque os amores mais puros não entendem dívida, nem mágoa, nem arrependimento. Então, que não se arrependa. Da gente. Do que fomos. De tudo o que vivemos. Que você me guarde na memória, mais do que nas fotos. Que termine com a sensação de ter me degustado por completo, mas como quem sai da mesa antes da sobremesa: com a impressão que poderia ter se fartado um pouco mais. E que, até o último dia da sua vida, você espalhe delicadamente a nossa história, para poucos ouvintes, como se ela tivesse sido a mais bela história de amor da sua vida. E que uma parte de você acredite que ela foi, de fato, a mais bela história de amor da sua vida.”


"Eu preciso aprender a ser menos. Menos dramática. Menos intensa. Menos exagerada. Alguém já desejou isso na vida: ser menos? Pois é. Estranho. Mas eu preciso. Nesse minuto, nesse segundo, por favor, me bloqueie o coração, me cale o pensamento, me dê uma droga forte para tranquilizar a alma. Porque eu preciso. E preciso muito. Eu preciso diminuir o ritmo, abaixar o volume, andar na velocidade permitida, não atropelar quem chega, não tropeçar em mim mesma. Eu preciso respirar. Me aperte o pause, me deixe em stand by, eu não dou conta do meu coração que quer muito. Eu preciso desatar o nó. Eu preciso sentir menos, sonhar menos, amar menos, sofrer menos ainda. Aonde está a placa de PARE bem no meio da minha frase? Confesso: eu não consigo. Nada em mim pára, nada em mim é morno, nada é pouco, não existe sinal vermelho no meu caminho que se abre e me chama. E eu vou... Com o coração na mochila, o lápis borrado, o sorriso e a dúvida, a coragem e o medo, mas vou... Não digo: "estou indo", não digo: "daqui a pouco", nada tem hora a não ser agora. Existe aí algum remedinho para não-sentir? Existe alguma terapia, acupuntura, pedras, cores e aromas para me calar a alma e deixar mudo o pensamento? Quer saber? Existe. Existe e eu preciso. Preciso e não quero."




O constante diálogo...






Há tantos diálogos...
Diálogo com o ser amado
                   o semelhante
                   o diferente
                   o indiferente
                   o oposto
                   o adversário
                   o surdo-mudo
                   o possesso
                   o irracional
                   o vegetal
                   o mineral
                   o inominado

Diálogo consigo mesmo


            com a noite
            os astros
            os mortos
            as idéias
            o sonho
            o passado
            o mais que futuro

Escolhe teu diálogo
                           e
tua melhor palavra
                           ou
teu melhor silêncio
Mesmo no silêncio e com o silêncio
dialogamos.




Carlos Drummond de Andrade
In Discurso de Primavera & Algumas SombrasJosé Olympio, 1977

domingo, 5 de setembro de 2010

“Seria tão bom se

p
u
d
é
s
s
e
m
o
s

nos relacionar sem que nenhum dos dois esperasse absolutamente nada, mas infelizmente nós, a gente, as pessoas, têm, temos - emoções.”
"Alguns sentem vida, sentem beleza,

sentem amor, com doses de conta-gotas.


Eu, não:
é
uma
 chuvarada dentro
de
 mim."

“Ela queria o prazer do extraordinário que era tão simples de encontrar nas coisas comuns: não era necessário que a coisa fosse extraordinária para que nela se sentisse o extraordinário."


[Simples assim]


''O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser."

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

"Meu
 coração
 é
minha
 razão.
Essa
é
a
 lógica
que
inventei
pra
 mim."
"As estrelas são todas iluminadas.
Acho que é pra que cada um possa, um dia, encontrar a sua."
[Para meu anjo amigo, Chiorato...
Carinhosamente]