"QUANTO A MIM, TENHO QUE LHES DIZER QUE AS ESTRELAS SÃO OS OLHOS DE DEUS VIGIANDO PARA QUE TUDO CORRA BEM. PARA SEMPRE. E, COMO SE SABE, SEMPRE NÃO ACABA NUNCA." (CLARICE LISPECTOR)



segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Lição de um anjo



Num velho castelo que existe
E que costumo visitar
Foi que encontrei um anjo triste
Sentado num canto, olhando o luar.


Foi-me triste ver tal cena,
Cheguei até a me sentir mal.
Confesso: tive até pena
Daquele ser celestial.



E disse: “-Ó anjo amigo,
Quero dar-te a alegria.
Deixa, meu anjo, comigo
Que numa canção eu te abrigo
E encerro tua melancolia”.
 E cantei. Cantava sorrindo
E ele sequer notou meus arranjos.
Foi então que acabei descobrindo
Que eu não falava a “língua dos anjos”.


Que faço, Deus da minha vida?
Que faço? Vem me explicar!
Pois não suporto ver criatura tão linda
Sentada e triste, prestes a chorar.


E, no ímpeto da luz da idéia que nasce,
Eu, delicadamente, do anjo beijo a face...
...



Foi como se nascesse o dia
A luz que do anjo brotou.
Ele olhou-me com alegria,
Tocou-me com sua mão macia
E, voando, para o céu voltou.


“-Vai, anjo, que hoje me deste
Uma lição que seguirei com fervor:
Que a verdadeira linguagem celeste
Não é a dos anjos, pois tu me entendeste
Quando falei a linguagem do amor!”


P.S. Ele enviou-me o poeminha acompanhado do seguinte comentário: "Quando escrevi, linda Wal, eu certamente não a conhecia. Mas o poema parece com você!"


[Bjs estrelados meu anjo lindo]

0 comentários:

Postar um comentário